Área Cultural Área Técnica

 Ciência e Tecnologia  -  Colunistas  -  Cultura e Lazer
 
Educação  -  Esportes  -  Geografia  -  Serviços ao Usuário

 Aviação Comercial  -  Chat  -  Downloads  -  Economia
 
Medicina e Saúde  -  Mulher  -  Política  -  Reportagens

Página Principal

MEDICINA E SAÚDE
Pressão arterial

VEJA UMA APRESENTAÇÃO ESPECIAL SOBRE PRESSÃO ARTERIAL (em PowerPoint) ==>
CLIQUE AQUI
FORMALMENTE AUTORIZADA PELA RH VIDA (378 KB)

 

Definição

            A hipertensão arterial é o aumento desproporcionado dos níveis da pressão em relação, principalmente, à idade. A pressão arterial normal num adulto alcança um valor máximo de 140 mmHg (milímetros de mercúrio) e mínimo de 90 mmHg. Valores maiores indicam hipertensão (pressão alta).

            A incidência de pressão alta é observada em relação a:

  Idade e Sexo: A pressão alta é mais comum nos homens do que nas mulheres, e em pessoas de idade mais avançada do que nos jovens.

  Genética: Pessoas com antecedentes familiares de hipertensão têm maior predisposição a sofrer da mesma.

  Estresse.

  Excesso de peso (obesidade).

Causas

            As causas que provocam a pressão alta são muitas e variadas. Na maioria dos casos, a causa é desconhecida ou não está bem definida. Entre as causas conhecidas estão as doenças dos rins, das glândulas (endócrinas), do sistema nervoso, o abuso de certos medicamentos e a gravidez.

Sintomas

            Na primeira fase a hipertensão arterial não apresenta sintomas, mas, à medida que os anos vão passando, eles começam a aparecer. Os mais comuns são: dor de cabeça, falta de ar, enjôos, visão turva que pode estar acompanhada de zumbidos, debilidade, sangramento pelo nariz, palpitações e até desmaios.

            A importância da pressão alta não está nos sintomas, mas nas graves complicações que podem provocar um enfarte agudo de miocárdio, ou um derrame cerebral e até a morte de forma instantânea.

Tratamento e prevenção

            A melhor forma de prevenir a doença é mediante um controle periódico (tirar a pressão), não abusar das comidas com sal, caminhar e evitar o fumo e o café, que aumentam a pressão arterial. Em resumo, tentar modificar o estilo de vida.

            Os tratamentos são destinados a manter a pressão arterial dentro dos limites normais, por um lado insistindo nas formas acima descritas de prevenção, e por outro, mediante medicamentos que, por diferentes ações, mantêm a pressão dentro dos limites normais. Os fármacos mais receitados são os diuréticos, os betabloqueadores e os vasodilatadores.

Como ocorre a pressão arterial máxima e mínima?

            A intensidade da pressão arterial é estabelecida no chamado centro circulatório situado numa parte do cérebro e adapta-se a cada situação através de mensagens enviadas aos centros nervosos. A pressão arterial ajusta-se através de alterações na intensidade e frequência do ritmo cardíaco (pulsações) e no diâmetro dos vasos circulatórios.

            Este último efeito ocorre através de músculos finíssimos situados nas paredes dos vasos sanguíneos.

            A pressão arterial altera-se ciclicamente no curso da atividade cardíaca.

            Atinge o seu valor máximo (pressão sanguínea sistólica), durante a “expulsão” do sangue (sístole) e o seu mínimo (pressão arterial diastólica), quando o coração termina o “período de repouso” (diástole).

            Para evitar certas doenças, estes valores devem manter-se entre limites normais específicos.

Quais são os valores considerados normais?

            A pressão arterial é considerada elevada se em repouso a pressão diastólica for superior a 90 mm/Hg e/ou a pressão arterial sistólica for superior a 140 mm/Hg.

            Se este for o caso você deve procurar imediatamente um médico.

            O prolongamento destes níveis de pressão arterial podem fazer perigar a sua saúde, pois causam o progressivo deterioramento dos vasos sangüíneos do organismo.

            Deve também consultar o seu médico se os valores da pressão arterial sistólica estiverem entre 140 mm/Hg e 160 mm/Hg, e/ou os valores da pressão diastólica estiverem entre 90mm/Hg e 95 mm/Hg. Deverá também proceder regularmente a medições de auto-controle.

            Se os valores forem demasiados baixos, isto é, se a pressão sistólica for inferior a 105 mm/Hg e/ou a diastólica inferior a 60 mm/Hg, deverá também fazer uma visita ao médico cardiologista.

Nível

Pressão arterial sistólica

Pressão arterial diastólica

Ação a tomar

Hipotensão

inferior a 100

inferior a 60

check-up médico

Valores normais

entre 100 e 140

entre 60 e 90

auto-medição

Hipertensão limite

entre 140 e 160

entre 90 e 100

check-up médico

Hipertensão moderada

entre 160 e 180

entre 100 e 110

consultar o médico

Hipertensão grave

superior a 180

superior a 110

consultar o médico com urgência

Hipertensão sistólica específica

superior a 140

inferior a 90

consultar o médico

Informações adicionais:

O que fazer quando os registros obtidos são frequentemente muito elevados ou muito baixos?

1)      Contate seu médico;

2)      A presença de valores da pressão arterial elevados, (diversas formas de hipertensão), conduz a médio e longo prazo, a elevados riscos para a saúde. Estes riscos dizem em particular respeito às artérias, mediante o seu endurecimento causado por depósitos nas paredes vasculares (arteriosclerose). Como resultado, o fornecimento do sangue a órgãos vitais é insuficiente (coração, cérebro, músculos). Por outro lado, o coração, quando os valores da pressão permanecem superiores aos níveis normais por um longo período de tempo, pode sofrer danos estruturais;

3)      As causas da hipertensão são múltiplas: deve diferenciar-se hipertensão primária comum (essencial) da hipertensão secundária. Este último grupo pode ser circunscrito a disfunções orgânicas específicas. Você deve sempre consultar o seu médico para obter informações sobre as possíveis origens dos seus valores elevados;

4)      Há certas medidas que podem ser tomadas, não só para reduzir a pressão arterial comprovada pelo médico, mas que podem também ser adotadas para a sua prevenção. Estas medidas dizem respeito ao seu modo de vida. 


A)    Hábitos alimentares:

        · Tente manter um peso equilibrado para a sua idade. Livre-se do excesso de peso;

        · Evite o consumo excessivo de sal;

        · Evite os alimentos gordos.


                        B)    Doenças anteriores:

               Siga cuidadosamente as instruções do médico para o tratamento de doenças tais como:

· Diabetes (diabetes mellitus);

· Disfunções do metabolismo;

· Gota.

 
                          C)    Consumo de substâncias nocivas:

        · Deixe de fumar;

        · Modere o consumo de bebidas alcoólicas;

        · Reduza o consumo de cafeína (café).

 
                            D)    Forma física:

        · Pratique esportes regularmente - após ter feito um check-up médico;

        · Escolha esportes que requeiram resistência física e não força;

        · Não se esforce até atingir o seu limite da forma física;

        · Se sofre de alguma doença e/ou tem mais de 40 anos, antes de iniciar qualquer atividade desportiva, você deve consultar o médico, que lhe recomendará o tipo de esporte adequado ao seu caso, e a intensidade com que o deve praticar.

FONTES: Pro Check, Microlife Corp. (Onbo Eletronic), Hafnerwisenstrasse 4 – Alemanha e Base de dados do Portal Brasil.


FALE CONOSCO ==> CLIQUE AQUI