ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR AMPLO ESPECIAL – IPCA-E

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR AMPLO ESPECIAL - IPCA-E

O que compõe o IPCA-E:

Por determinação legal (Medida Provisória número 812, de 30 de dezembro de 1994), o IPCA – Série Especial está sendo divulgado trimestralmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, baseado nos índices do IPCA-15.

O Portal Brasil apresenta na tabela também a variação mensal – apenas para efeito de estatística e estimativa futura do índice. A sua validade e aplicabilidade, entretanto, é trimestral. Este índice é aqui informado apenas para subsidiar expectativas de acúmulos trimestrais ou entre períodos.

O IPCA/IBGE verifica as variações dos custos com os gastos das pessoas que ganham de um a quarenta salários mínimos nas regiões metropolitanas de Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e município de Goiânia.

O Sistema Nacional de Preços ao Consumidor – SNIPC efetua a produção contínua e sistemática de índices de preços ao consumidor, tendo como unidade de coleta estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, concessionária de serviços públicos e domicílios (para levantamento de aluguel e condomínio).

O IPCA/E utiliza, para sua composição de cálculo, os seguintes setores: alimentação e bebidas, habitação, artigos de residência, vestuário, transportes, saúde e cuidados pessoais, despesas pessoais, educação e comunicação. Outras observações importantes:

  1. O IPCA-E foi criado em 30 de dezembro de 1991.
  2. IPCA-E/1992 – Excepcionalmente, o IBGE não divulgou os resultados dos meses de junho a setembro de 1992, tendo sido estes arbitrados pelo Governo Federal.
  3. IPCA-E/1993 – Excepcionalmente, o IBGE não calculou os resultados de maio e junho de 1993, conforme o disposto na legislação, tendo sido estes arbitrados pelo Governo Federal para a correção da UFIR.
  4. Com a atualização das Estruturas de Ponderação, obtidas a partir da Pesquisa de Orçamentos Familiares – POF – 1995-1996, foram introduzidos aperfeiçoamentos na classificação dos produtos e serviços que compõem as estruturas. Com isso foram criadas novas tabelas, a partir de agosto de 1999, contendo os dados com as estruturas atualizadas.
 JANFEVMARACU/TRIMABRMAIJUNACU/TRIM
1991
199225,6026,1022,0393,2719,8323,45s/d
199329,4726,7225,96106,6527,3428,6127,61108,98
199439,1739,7043,63179,2441,2544,2144,65194,64
19951,781,221,284,341,952,772,257,13
19961,631,200,623,480,701,321,113,16
19971,130,710,592,440,680,500,551,74
19980,540,640,391,570,220,410,340,97
19990,680,641,222,560,780,51-0,021,27
20000,650,340,091,080,470,090,080,64
20010,630,500,361,490,500,490,381,37
20020,620,440,401,460,780,420,331,53
20031,982,191,145,401,140,850,222,22
20040,680,900,401,990,210,540,561,32
20050,680,740,351,780,740,830,121,69
20060,510,520,371,400,170,27-0,150,29
20070,520,460,411,390,220,260,290,77
20080,700,640,231,570,590,560,902,06
20090,400,630,111,140,360,590,381,33
20100,520,940,552,020,480,630,191,30
20110,760,970,602,340,770,700,231,70
20120,650,530,251,430,430,510,181,12
20130,880,680,492,060,510,460,381,35
20140,670,700,732,110,780,580,471,84
20150,891,331,243,491,070,600,992,68
20160,921,420,432,790,510,860,401,78
20170,310,540,151,000,210,240,160,61
20180,390,380,100,870,210,141,111,46
20190,300,340,541,180,720,350,061,13
20200,710,220,020,95 -0,01 -0,59 0,02-0,58

 JULAGOSETACU/TRIMOUTNOVDEZACU/TRIM
199123,9823,98
1992s/d25,4823,7023,4991,68
199330,6731,9934,38131,7635,1733,9036,69147,39
19945,215,001,6312,271,902,952,257,26
19952,591,490,975,121,341,361,464,21
19961,370,700,112,190,140,410,200,75
19970,310,17-0,050,430,250,070,490,81
1998-0,11-0,37-0,44-0,920,01-0,110,130,03
19990,790,810,472,080,800,990,912,72
20000,781,990,453,240,180,170,600,95
20010,941,180,382,510,370,990,551,92
20020,771,000,622,400,902,083,056,14
2003-0,180,270,570,660,660,170,461,29
20040,930,790,492,220,320,630,841,80
20050,110,280,160,550,560,780,381,73
2006-0,020,190,050,220,290,370,351,01
20070,240,420,290,950,240,230,701,17
20080,630,350,261,240,300,490,291,08
20090,220,230,190,640,180,440,381,00
2010-0,09-0,050,310,170,620,860,692,18
20110,100,270,530,900,420,460,561,44
20120,330,390,481,200,650,540,691,89
20130,070,160,270,500,480,570,751,81
20140,170,140,390,700,480,380,791,65
20150,590,430,391,410,660,851,182,71
20160,540,450,231,220,190,260,190,64
2017-0,180,350,110,270,340,320,351,01
20180,640,130,090,860,580,19-0,160,77
20190,090,080,090,260,090,141,051,28
2020 0,300,23  0,45 0,98   

FONTES: Base de dados do Portal Brasil® e ABECIP – Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança.

(*) No cálculo do acumulado do ano, considera-se a capitalização mensal (e não trimestral) dos índices.

(**) A terceira casa decimal e seguintes são desprezadas apenas no total acumulado do trimestre e do ano. Porém, elas são computadas normalmente no cálculo da capitalização mensal. Por este motivo se for efetuado o acumulado do ano utilizando-se o acumulado do trimestre poderá haver variação mínima no total geral (décimos e centésimos).

(***) Não há arredondamento. Assim, por exemplo, 1,698% (acumulado do 2o trimestre / 2005) é lançado como 1,69% e não como 1,70%.

(****) A utilização do IPCA-e é trimestral. Informamos os dados mensais pois o mesmo é balizado pelo IPCA-15 que é mensal. Entretanto seu uso deve ser trimestral. Este índice é aqui informado apenas para subsidiar expectativas de acúmulos trimestrais ou entre períodos.

(*****) s/d ==> Sem dados / incompleto. Não foi possível efetuar o cálculo do acumulado (prejudicado)