Área Cultural Área Técnica

 Ciência e Tecnologia  -  Colunistas  -  Cultura e Lazer
 
Educação  -  Esportes  -  Geografia  -  Serviços ao Usuário

 Aviação Comercial  -  Chat  -  Downloads  -  Economia
 
Medicina e Saúde  -  Mulher  -  Política  -  Reportagens

Página Principal

P A R A G U A I

 

Mapa do Paraguai - CRÉDITO: wikipédiaDADOS PRINCIPAIS:
Nome oficial: República do Paraguai (República del Paraguay).
Coordenadas geográficas: 23º 00' S, 58º 00' W.
Nacionalidade: Paraguaia.
Data nacional: 15 de maio de 1811 (Independência da Espanha).
Capital: Assunção.
Cidades principais: Assunção (742.574); Ciudad del Este (387.755), San Lorenzo (356.594), Luque (264.438), Capiatá (235.201), Lambaré (180.324), Fernando de la Mora (173.941), Limpio (142.824), Nemby (138.818), Encarnación (104.671), Pedro Juan Caballero (100.480), Mariano Roque Alonso (90.484), Itauguá (84.162), Coronel Oviedo (78.395), San Antonio (76.808), Villa Elisa (72.423), Presidente Franco (71.613), Hernandarias (69.616), Caaguazú (69.302) e Concepción (59.128) - Dados de 2010.
Idioma: Espanhol e guarani (oficiais).
Religião: 89,6% (Católicos), 6,3% (Protestantes), outros cristão (1,1%), outras religiões (1,9%) e ateus (1,1%) - 2011.
Código telefônico internacional: 595.
Código de internet: py.
Site oficial do Governo Federal: www.presidencia.gov.py.

GEOGRAFIA: 
Localização:
Centro-sul da América do Sul (Fronteiras com o Brasil, Argentina e Bolívia).
Hora local:
UTC -4 hr.
Área: 406.752 km2 (58º do mundo).
Águas internas: 2,3% (2012).
ASSUNÇÃO - CRÉDITO/FOTO: WikipédiaClima: tropical seco (NO e NE), tropical (centro), subtropical (S).
Temperatura média:
26ºC à 33ºC (Verão); 15ºC à 26ºC (Inverno).
Área de floresta:
115 mil km2 (2005).
Linha costeira: Não há.
Ponto mais elevado: Cerro Pedro (842 metros).
Ponto mais baixo: Junção do Rio Paraguai com o Rio Paraná (46 metros).

Área utilizada na agricultura: 7,47% (2005).

POPULAÇÃO: 
Total:
7.356.789 (2011), sendo eurameríndios 80%, europeus (9,7%), asiáticos 4%, ameríndios 3%, negros 1% e outras raças (2,3%).
Densidade:
18,08 hab./km2 (2011).
População urbana:
61% (2010).
PO MODERNO AEROPORTO SILVIO PETTIROSSI, EM ASSUNÇÃO - FOTO/CRÉDITO: Wikipédiaopulação rural: 39% (2010).
Crescimento demográfico:
1,256% ao ano (2012).
Fecundidade:
2,06 filhos por mulher (2012).
Expectativa de vida:
76,4 anos (2012) - 99º do mundo.
Mortalidade infantil:
22,24 por mil nascimentos (2012) - 121º do mundo.
Analfabetismo:
5,4% (2010) - 71º do mundo.
IDH (0-1):
0,640 (2010) - 96º do mundo.

POLÍTICA:
Forma de governo:
República presidencialista.
Divisão
administrativa: 17 departamentos.
Principais
partidos: Partido Colorado (PC), Partido Radical Liberal Autêntico (PLRA), Movimento Pátria Querida (MPQ), Partido União Nacional dos Cidadãos Éticos (PUNACE), Partido País Solidário (PPS), Partido Encontro Nacional (PEN) e Partido Pátria Livre (PPL).
Legislativo
: Bicameral - Senado, com 45 membros; Câmara dos Deputados, com 80, eleitos por voto direto para mandato de 5 anos.
Constituição
em vigor: Promulgada em 20 de agosto de 1992.

Ciudad del Leste, próxima a fronteira com o Brasil (Fóz do Iguaçu) - FOTO/CRÉDITO: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:CDE_Vista_Aerea.JPGECONOMIA: 
Moeda:
Guarani.
Orçamento anual: US$ 4,531 bilhões (2011).
PIB:
US$ 21,24 bilhões (2011).
Crescimento do PIB:
3,8% ao ano (2011).
PIB per capita:
US$ 2,887.12 (2011).
Taxa de inflação:
8,3% (2011).
Força de trabalho:
3,085 milhões (2011).
Agronegócio - principais produtos:
Soja, algodão em pluma, cana-de-açúcar, milho, tabaco, mandioca, frutas, vegetais, ovos, carnes bovina e de porco e leite (2012).
Pecuária:
Bovinos, suínos, aves (2012).
Mineração:
Calcário, gipsita, petróleo (2012).
Indústria:
Energia elétrica, açúcar, alimentícia, bebidas, tabaco, madeireira, têxtil, vestuário, couro, petroquímica, gráfica e editorial, metalúrgica e produtos minerais não metálicos (2012).
Artesanato Guarani - FOTO/CRÉDITO: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:CDE_Vista_Aerea.JPGFerrovias: 36 km (2008).
Rodovias: 29.500 km, sendo 14.986 km asfaltados (2010).
Aeroportos: 800 sendo 15 asfaltados (2012).
Portos: Os principais são os de Assunção, Villeta, San Antonio e Encarnación (nos rios Paraná e Paraguai) - 2010.
Marinha Mercante: 13 navios de médio e grande porte (sendo 01 petroleiro) - 2010.
Rios e lagos navegáveis: 3.100 km, nas bacias dos rios Paraná e Paraguai - 2012.
Produção de energia elétrica: 54,91 bilhões de kWh (2008).
Consumo de energia elétrica:
8,50 bilhões de kWh (2009).
Telefones fixos:
405 mil (2009).
Telefones celulares:
5,915 milhões (2009).
Dívida externa:
US$ 68,76 bilhões (2011).
Exportações
: US$ 10,28 bilhões (2011) - Principais parceiros: Uruguai (15,4%), Brasil (11,7%), Argentina (10,4%), Chile (8,5%), Federação Russa (6,7%), Holanda (5,6%), Alemanha (4,4%) e Itália (4%).
Encarnación - FOTO/CRÉDITO: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:CDE_Vista_Aerea.JPGImportações: US$ 12,06 bilhões (2011) - Principais parceiros: Brasil (27,4%), China (16,9%), Estados Unidos (15%), Argentina (14,8%) e Chile (4,4%).

DEFESA: 

Efetivo total:
s/dados atualizados.
Gastos:
US$ 212 milhões (2011 - 1% do PIB).

RELAÇÕES EXTERIORES: 
Organizações:
Banco Mundial, FMI, Grupo do Rio, Mercosul, OEA, OMC, ONU.
Embaixada:
SES, Av. das Nações, Quadra 811, Lote 42 - CEP 70427-900, Brasília (DF) - Tel. (61) 3242.3732 / 3968 / 3244.8649, fax (61) 3242.4605, e-mail: secretaria@embaparaguai.org.br, Site: www.embparaguai.org.br.

 

Assunção - FOTO/CRÉDITO: Felipe Méndez - http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Gran_Asunci%C3%B3n_by_Felipe_M%C3%A9ndez.jpg

 

RIO PARAGUAI - FOTO/CRÉDITO: Wikipédia.A GUERRA DO PARAGUAI

O Paraguai no século XIX era um país que destoava do conjunto latino-americano por ter alcançado um certo progresso econômico autônomo, a partir da independência em 1811. Durante os longos governos de José Francía (1811-1840) e Carlos López (1840-1862), o analfabetismo havia diminuído significativamente no país e haviam surgido fábricas -- inclusive de armas e pólvora --, indústrias siderúrgicas, estradas de
ferro e um eficiente sistema de telégrafo. As "estâncias da pátria" (unidades econômicas formadas por terras e instrumentos de trabalho distribuídos pelo Estado aos camponeses, desde o governo Francia) abasteciam o consumo nacional de produtos agrícolas e garantiam à população emprego e invejável padrão alimentar.

Nesse quadro de relativo sucesso socioeconômico e de autonomia internacional, Solano López, cujo governo iniciou-se em 1862, enfatizou a política militar-expansionista, a fim de ampliar o território paraguaio. Pretendia criar o "Paraguai Maior", anexando, para isso, regiões da Argentina, do Uruguai e do Brasil (como Rio Grande do Sul e Mato Grosso). Obteria, dessa forma, acesso ao Atlântico, tido como imprescindível para a continuação do progresso econômico do país.

 

Usando como pretexto a intervenção brasileira no Uruguai e contando com um exército bem mais numeroso que o do oponente brasileiro, Solano López tomou a ofensiva ao romper relações diplomáticas com o Brasil, em 1864. Logo depois, como medida complementar, ordenou o aprisionamento do navio brasileiro Marquês de Olinda, no rio Paraguai, retendo, entre seus passageiros e tripulantes, o presidente da província do Mato Grosso, Carneiro de Campos. A resposta brasileira foi a imediata declaração de guerra ao Paraguai.

Em 1865, mantendo-se na ofensiva, o Paraguai havia invadido o Mato Grosso e o Norte da Argentina, e os governos do Brasil, Argentina e Uruguai criaram a Tríplice Aliança contra Solano López. Apesar de as primeiras vitórias da guerra terem sido paraguaias, o país não pôde resistir a uma guerra prolongada. A população paraguaia era muito menor que a dos países da Tríplice Aliança e, por maior que fosse a competência do exército paraguaio, a ocupação militar dos territórios desses países era fisicamente impossível, enquanto o pequeno Paraguai podia ser facilmente ocupado pelas tropas da Aliança. O Paraguai acabou sucumbindo e perdeu a guerra.

 

SOLANO LÓPEZ - CRÉDITO: Wikipédia.Considerações importantes sobre a Guerra do Paraguai:

"Muitos acreditam que a Inglaterra tinha interesses nessa Guerra bem como Solano López era um "desenvolvimentista".
Leia abaixo as considerações do Professor Clemenceau Souza Leite, da USP, para o Portal Brasil.


É imprescindível a compreensão real daquele conflito. Nunca a Inglaterra teve interesse nessa guerra. O Brasil inclusive se encontrava de relações rompidas com essa potência europeia. Quanto ao Paraguai, dizer que era um país tido com um "modelo de desenvolvimento autônomo", é desconhecer o poder dinástico da família López, que tratava o Paraguai como uma imensa fazenda e sua população como verdadeiros escravos. Havia escravidão no Paraguai e grande parte das receitas paraguaias foram gastas pelo ditador Solano López na aquisição de farto material bélico na Europa. Se houve uma potência estrangeira interessada nessa guerra, essa potência eram os Estados Unidos, cujo embaixador em Assunção, general MacMahon, não apenas incentivou as ações bélicas de Solano López, como também o acompanhou em sua fuga pelo interior do Paraguai. Por fim, aconselho a leitura do livro "Maldita Guerra", do historiador brasileiro Francisco Doratiotto, um trabalho sério que com farta documentação histórica desmente o mito de Solano López, que segundo o intelectual paraguaio Guido Alcála foi um verdadeiro precursor de Adolf Hitler".


FONTES: Base de dados do Portal Brasil, CIA World Factbook, Wikipédia, Governo do Paraguai, http://www.defesanet.com.br/al1/balanco.pdf, www.consulados.com.br e Professor Clemenceau Souza Leite (USP).
 

 


FALE CONOSCO ==> CLIQUE AQUI